Júri

Alexe Landgren é uma argumentista/realizadora que vive no sul da Suécia. Estudou argumento e trabalhou como assistente de realização durante vários anos, enquanto fazia as suas próprias curtas. Desde 2002, a sua filmografia reúne nove curtas, algumas delas foram premiadas a nível nacional e internacional. Actualmente, financia a sua primeira longa-metragem, sobre uma mulher que abandona os filhos depois de acometida por depressão pós-parto. Alexe privilegia o drama, contando histórias íntimas sobre pessoas reais. Adopta a perspectiva feminina, despertando na audiência sentimentos emocionais e intelectuais.  As suas curtas Till the Sun Comes in the Sky e Lust foram incluídas na “Selecção Oficial” do Sound & Image Challenge International Festival em 2018 e 2019, respectivamente. Alexe foi convidada em 2020 para ser júri no painel de Ficção do Festival Internacional de Curtas de Macau.


Amanda Lei Meng Lou é uma artista de Artes Visuais de Macau. Formou-se em Comunicação Visual (Universidade Sun Yat-sen). A sua obra principal, Time Together (2019), foi seleccionada e exibida em vários festivais internacionais, tais como: 4º New Era Film Festival; O 18º Filme e Vídeo para Estudantes Internacionais da Academia de Cinema de Pequim; The Sound & Image Challenge International Festival 2019; The Macao Films Panorama 2020 – Local Indies Force Screening. Amanda foi convidada em 2020 para fazer parte do júri no painel de Ficção do Festival Internacional de Curtas de Macau.


Benjamin Hodges é artista e professor académico proveniente de Virgínia,  Estados Unidos da América. Estudou na Flórida e no Texas, onde se doutorou em antropologia na Universidade do Texas, Austin. A sua investigação académica foca no ensino e trabalho artístico que abrange práticas emergentes e históricas em cultura visual e media digital. Actualmente é professor assistente no Departamento de Comunicação da Universidade de Macau.


David Rouault é um músico profissional de Trompete em música clássica. Estudou no Conservatório de Superior de Paris e tocou com músicos notáveis em orquestras sinfónicas francesas e asiáticas.Tem participado em inúmeras gravações e em diferentes estilos musicais. É solista em groupos de Câmara e Orquestras. Dá formação através de masterclasses na Europa e na Ásia. David é um professional provas de vinhos, consultor, colunista e faz apresentações enológicas.


Dmytro Sukholytkyy-Sobchuk formou-se em 2013 pela Universidade Nacional de Teatro, Cinema e Televisão de Kiev Karpenko-Karyy. Enquando estudava, realizou várias curtas que foram seleccionadas e premiadas em diferentes festivais internacionais. Participou no Berlinale Talent Campus 2013. Ganhou uma bolsa de estudos do Ministério da Cultura da Polónia, Gaude Polonia (2015-2017) e participou na Locarno Film Academy em 2019. Desde 2018 é membro da Academia de Cinema da Ucrânia, da EFA (European Film Academy) e desde 2019 da Ukrainian Oscar Committee. Fundou a Ukrainian Script Platform Terrarium. A sua  curta Weightlifter (co-produção ucraniana-polaca) foi estreia no Drama Short Film Festival Candidate para Prémios Filmes Europeus em 2019.  Este filme foi comprado pela ARTE e recebeu 20 prémios e mais de 60 selecções oficiais em diferentes festivais, sendo vencedor do prémio Melhor Ficção do Sound & Image Challenge International Festival em 2019.  Foi premiado como. A longa-metragem PAMFIR, foi desenvolvida pela TorinoFilmLab (Script & Pitch) e Midpoint Intencive foi seleccionado pela Cinéfondation – The Résidence. Em 2020, foi convidado para ser júri no painel de Ficção do Festival Internacional de Curtas de Macau.


Hong Heng Fai é um realizador de cinema nascido em Macau. Depois de fundar o Day Day Studio em 2014, ele realizou e produziu 4 filmes: Before Dawn, que venceu o “Rush 48 Hours Competition”, In her memory, Caged e Crash. A curta Crash foi premiada como Best Narrative Film do 16th South Taiwan Film Festival, Best Narrative Short Film do 13th China Independent Festival e ganhou o Prémio de Identidade Cultural de Macau e Melhor Entrada Local, do Sound & Image Challenge International Festival em 2016. No ano seguinte, integrou o júri do painel de Ficção, em 2020 regressou como jurado, sob o novo nome de Festival Internacional de Curtas de Macau.


Jay Lei Pui Weng é realizador de animação e artista multidisciplinar. Estudou  na University of the Arts Utrecht, nos Países Baixos, com um Mestrado em Animação. É especialista em narrativa visual, com ênfase na criatividade, emoção e estética das obras, através de uma variedade de meios, como ilustração, animação e arte de projecção. Durante vários anos, Jay trabalhou com agências e clientes internacionais da Ásia para a Europa. O filme O Farol foi seleccionado para festivais de cinema e animação no estrangeiro, como o Fantoche International Animation Film Festival (Suíça), o ifva Festival (Hong Kong) e o Taipei Golden Horse Film Festival. As diferentes curtas de animação de Jay foram premiadas no Sound & Image Challenge em 2010, 2013 e no Sound & Image Challenge International Festival 2019. Foi convidado em 2020 para ser júri no painel de Animação do Festival Internacional de Curtas de Macau.


João Nuno Brochado nasceu no Porto, Portugal, de uma família ligada às artes. Em 2001 entra na Escola das Artes da Católica Porto e conclui Mestrado em Som e Imagem, especialização em Cinema e Audiovisual. Durante o curso faz trabalhos em diversas áreas, nomeadamente documentários, spots publicitários, realização em directo e cinema e o projecto final “Paraíso Fiscal” foi seleccionado para mais de 20 festivais e ganhando vários prémios.  Em 2006 frequentou o curso da New York Film Academy sendo depois convidado para professor-assistente dessa instituição. Estagiou na empresa Utopia Filmes, em Lisboa. Fundou com 3 amigos a produtora Cimbalino Filmes, no Porto onde desenvolveu trabalhos de realização e produção de filmes promocionais para marcas como Vodafone, Super Bock, McDonalds, Renault, Salsa e Vinho do Porto, entre muitos outros e também programas de televisão, videoclipes, concertos e curtas-metragens como os galardoados “Tóquio Porto 9 horas” e “Até ao Mar”. Participou na criação de múltiplos cenários virtuais em video-mapping para peças de teatro, concertos e outros eventos. Em 2014 estreia a sua primeira longa-metragem documental “Uma Montanha do Tamanho do Homem” sobre a aldeia Drave, sendo o 1º lugar em vendas esgotadas em 3 semanas. Simultaneamente João iniciou a sua carreira académica como professor visitante em 2008 na Escola de Artes da Universidade Católica do Porto, e depois em 2016 na Universidade de São José, em Macau. É agora coordenador dos programas de Cinema na Faculdade de Artes e Humanidades.


Kaveh Jahed nasceu no Curdistão, Irão, em 1986. Formou-se na escola de cinema IYCS e fez vários filmes, incluindo: A share of share, Samar, Zhwan. O seu último filme foi nomeado para a lista de selecção oficial do Festival de Curtas de Macau em 2019. Os seus filmes foram seleccionados em vários festivais nacionais e internacionais ganhando vários prémios como melhor filme, melhor argumento, melhor realizador, etc. Fez parte do júri no festival de curtas-metragens Filminute 2018. Em 2020, Kaveh foi convidado para ser júri no painel de Ficção do Festival Internacional de Curtas de Macau e curador de uma sessão de Cinema Moderno do Irão para o mesmo Festival.


Luca Deravignone é um italiano autónomo, fotógrafo, realizador de filmes e vídeos. Desde 2008, trabalha em projectos pessoais e profissionais, na Itália e no estrangeiro, tais como videoclipes,  multimédia quer para empresas privadas e governamentais no contexto de promoção cultural. Em 2018, realizou a primeira curta OMA, um conto distópico sombrio sobre os nossos medos, desespero e esperança daqueles que, pelo menos uma vez na vida, realmente queriam experimentá-lo. Este projecto recebeu vários prémios a nível nacional e internacional, sendo finalista no Sound & Image Challenge International Festival 2019 e Melhor Curta-metragem no PiGrecoZen International Film Festival. Os seus interesses são variados e interdisciplinares. É formado em Geografia e Doutorado em Arqueologia, fez pesquisa vários anos, sobre o uso da Inteligência Artificial para análises espaciais. Luca foi convidado em 2020 para ser júri no painel de Ficção do Festival Internacional de Curtas de Macau. Actualmente, além das encomendas, trabalha num documentário que será lançado em 2021.


Maria Jáimez é uma actriz e realizadora espanhola, com vasta experiência teatral e audiovisual. Recentemente, foi premiada internacionalmente pela representação na curta-metragem Un Minutito, de Javier Macipe. Manolo Montague e Carmela Capulet é a sua estreia como realizadora, um filme que não poderia ser realizado por mais ninguém a não ser ela: um documentário sobre o amor e seus avós. Foi seleccionado e premiado em vários festivais nacionais e internacionais. Esteve na lista de filmes da Selecção Oficial para o Sound & Image Challenge International Festival em 2019. María foi convidada em 2020 para ser júri do painel de Documentários do Festival Internacional de Curtas de Macau.


Marie Fages é realizadora de filmes e cenógrafa. Estudou Cenografia na Academia de Belas Artes de Roma, depois na Escola Nacional de Artes Aplicadas de Paris (EnsAD). Desenhou diferentes  cenários, instalações de arte, na Itália, França, Alemanha e Portugal. Realizou um filme para a conclusão do ensino básico: Electra’s walk, uma adaptação da tragédia de Electra filmada nas passagens de “La Défense”, em Paris. Depois, realizou White tides, filmado em Berlim e exibido em muitos festivais como o Sound & Image Challenge International Festival 2016. Marie foi júri foi no painel de Ficção do Sound & Image Challenge International Festival 2018 e em 2020 sob o novo nome, Festival Internacional de Curtas de Macau. Actualmente, prepara o terceiro filme, In the Reunion Island.


Marta Teijeira nasceu em 1994 no País Basco, Espanha. Nasceu criativa e terminou a Licenciatura em Comunicação Audiovisual com muito entusiasmo e vários projectos em mente. Admiradora e sensível do humor irónico, encontrou a vocação no mundo da comunicação. Enquanto estudava, filmou alguns documentários e ficções curtas No entanto, escreveu e realizou a primeira curta oficial em 2018, chamada Love Centrifugated. Este filme foi exibido em alguns festivais nacionais e internacionais dos quais o Sound & Image Challenge International Short Festival 2019. No momento, escreve argumentos para curtas, complementando experiências explorando outros campos da comunicação, como o marketing digital. Marta foi convidada em 2020 para ser júri no painel de Ficção do Festival Internacional de Curtas de Macau.


Pascal Forney descobriu a arte do mundo do espectáculo  através de espectáculos de magia. Apaixonou-se pelo cinema e estudou realização na ECAL (Ecole Cantonale d’Art de Lausanne). Em 2005, fundou a Imaginastudio com a Arnaud Gantenbein, uma produtora especializada em filmes de género e entretenimento. Nos últimos 14 anos, Pascal realizou e produziu curtas que foram premiadas e anúncios nacionais e internacionais. O seu filme Angel or Demon recebeu o prémio de Melhor Ficção e Melhor Filme do Público no Sound & Image Challenge International Short Festival. Foi convidado para o júri do painel de Ficção do Sound & Image Challenge International Festival 2018, também em 2020, sob o novo nome do Festival Internacional de Curtas de Macau. Pascal ensina Cinema na ERACOM (Escola de Arte e Comunicação da Suíça).


Rodrigo Rezende Meireles é um realizador de documentários formado em Cinema e Vídeo pela UNA (Belo Horizonte, MG, Brasil). Foi operador de câmara num documentário desportivo, Galo’s Day (realizado por Cris Azzi e Luis Felipe Fernandes). Director de fotografia na curta de ficção Famílias (realizado por Joffre Faria) e na curta documental Azul Escuro (realizado por Gustavo Nolasco). João Baptista foi o primeiro documentário curto como productor e realizador, foi aclamado em festivais mundiais tendo recebido dez prémios. Assim como Anderson o seu segundo documentário, teve uma excelente recepção, recebendo sete prémios (incluindo Melhor Documentário no Sound & Image Challenge International Festival 2018) e exibido em grandes festivais como HotDocs, Telluride Film Festival, entre outros. Trindade é o seu terceiro filme e está actualmente no circuito de festivais. Rodrigo foi júri no painel de Documentário do Festival Internacional Sound & Image Challenge 2019 e também em 2020, sob o novo nome de Festival Internacional de Curtas de Macau.


Saki Farzana nasceu em 1984 em Joypurhat, Bangladesh. Em 2007, concluiu o Mestrado no Departamento de Teatro da Universidade de Rajshahi e completou um curso de Produção de TV da NIMC em 2007. Faz representação em Teatro, TV, Rádio, Filme, realização e escreve argumentos. Como realizadora independente, fez o seu primeiro filme intitulado Chelemanushi-The Gray Line, que foi seleccionado e exibido em festivais internacionais (Rússia, Reino Unido, América, Canadá incluindo 6 festivais de cinema da Índia). Em 2018, foi premiada como Melhor Mulher Realizadora no 3º Festival Internacional de Curtas-Metragens, Pune. Realizou outra curtas intituladas The Park, The bench and the Girl como parte do movimento #I stand for women. Trabalha num novo filme neste tempo do Covid-19, sobre a situação sociopolítica do país no período pandémico. Saki foi convidada para ser júri no painel de Ficção do Sound & Image Challenge International Festival 2019, e também em 2020, sob o novo nome de Festival Internacional de Curtas de Macau.


Simon Panay tem 27 anos. Em 2012, esteve em África onde filmou o seu primeiro documentário: Tontines, une affaire de femmes e em 2014 o segundo documentário Waiting for the (t) rain. O último  documentário Nobody Dies Here, filmado numa mina ilegal de ouro de Benin, ganhou 133 prémios em todo o mundo e foi seleccionada para 389 festivais de cinema em 71 países diferentes. Este filme foi premiado como Melhor Documentário no Sound & Image Challenge International Festival 2017, ganhou o prémio Maior Talento Jovem Realizador do Ano pela prestigiada Organização ARP e também o Prémio Documentário da Fundação Jean-Luc Lagardère. Desde 2016, trabalha com o productor e realizador  Xavier Castano vencedor do Oscar Jean-Jacques Annaud com quem desenvolve várias longas-metragens. Simon foi convidado para ser júri no painel de Documentário do Sound & Image Challenge International Festival 2018 e também em 2020, sob o novo nome de Festival Internacional de Curtas de Macau.


Suchana Saha nasceu e viveu em Calcutá, capital cultural da Índia. Tirou uma pós-graduação em Cinema de Animação no Instituto de Cinema e Televisão Satyajit Ray e a Licenciatura em Animação no St. Xavier’s College, em Calcutá. Frequentou a Moscow International Summer School (VGIK) em Julho de 2018 e estagiou no Eeksaurus em 2014 e na Animagic India em 2015. Os seus filmes Khelna (2014), Paper (2015), The Intraview (2016), Maa Tuki (2018), Poter Kotha (2019) e Whole (2020). Maa Tuki obteve 44 nomeações 14 prémios internacionais e Poter Kotha e Paper receberam nomeações nacionais. O filme mais recente, Find me, Mother fez parte da “Selecção Oficial” do Sound & Image Challenge International Festival 2019 exibido em Dezembro. Suchana trabalhou como designer de produção em filmes de acção. Em 2020, foi convidada para júri no painel de Animação do Festival Internacional de Curtas de Macau.